sábado, 24 de dezembro de 2016

Os estranhos líquidos bebidos como álcool na Rússia e que causam milhares de mortes por ano


336
Ouvir texto
0:00
Imprimir Comunicar erro

  • Thinkstock
Pelo menos 58 pessoas morreram na Rússia esta semana depois de beber, como se fosse licor, uma loção para banho que contém metanol ou álcool metílico, uma substância tóxica utilizada normalmente como solvente na indústria química.
O incidente ocorreu na cidade siberiana de Irkutsk, no leste da Rússia, onde as autoridades declararam estado de emergência.
As vítimas eram homens e mulheres com idades entre 35 e 50 anos.
Um dos sobreviventes disse que só bebeu um pouco da loção e acordou cego no dia seguinte.
As mortes causadas pelo consumo do líquido - que se chama Boyaryshnik e tem no rótulo a advertência de que não deve ser ingerido - traz à tona novamente o problema do consumo de produtos com álcool que não foram feitos para serem bebidos, que segundo dados oficiais, causa a morte de 14 mil pessoas por ano no país.

Alcoolismo

O alcoolismo é um problema sério na Rússia, onde calcula-se que um adulto beba em média 20 litros de vodca por ano. No Reino Unido, por exemplo, o consumo de bebidas destiladas gira em torno de três litros por pessoa por ano.
De acordo com um estudo feito há dois anos, 25% dos homens russos morrem antes dos 55 anos por doenças ligadas ao consumo de álcool.
Mas para os mais pobres, isso não é um impedimento para beber: líquidos que contêm álcool, como perfumes, colônias, loções pós-barba e produtos de limpeza são uma alternativa barata.
Segundo especialistas, cerca de 12 milhões de russos bebem produtos que custam o equivalente a menos de US$ 1 (R$ 3,3) o litro. Um litro de vodca custa aproximadamente US$ 3 (R$ 9,84).
"É muito fácil consegui-los", explicou Olga Ivshina, correspondente do serviço russo da BBC.
"Como não são bebidas, eles estão à venda nas farmácias que funcionam 24 horas, enquanto as lojas de bebidas não podem vender álcool depois das 22 horas ou 23 horas".
"Também há máquinas onde é possível consegui-los a qualquer hora. Assim, menores de 18 anos podem comprar bebidas alcoólicas sem ter que mostrar documento de identidade", acrescentou.
"Também não se pode proibí-los como não se poderia proibir a venda do perfume Chanel Nº5", diz ela.
A cada ano os russos consomem entre 170 e 250 milhões de litros de loções, segundo o Serviço Federal para a Regulação do Mercado de Álcool. Especialistas calculam que a demanda destes produtos tem crescido 20% ao ano.
O problema não é novo no país: agravou-se nos anos 1990, durante o governo de Mikhail Gorbachev, que por um breve período tentou proibir o consumo de álcool na antiga União Soviética.
Atualmente, o problema vem sendo agravado pela crise econômica e pelo aumento do preço da vodca e de outras bebidas alcoólicas.

Receba o Giro UOL por e-mail

Em duas edições diárias, um resumo das notícias mais importantes para começar e terminar o seu dia. É só deixar seu e-mail e pronto!

Nenhum comentário: