terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Desafio Municipal de Tênis em Antônio Martins

Banda de música Josefa Viana convite

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Sob aplausos, população dá adeus ao volante Gil em Nova Cruz, no RN

G1

RIO GRANDE DO NORTE

Velório e homenagens acontecem no ginásio Giovanna de Azevedo Targino. Segundo a PM, mais de 10 mil pessoas prestaram condolências

04/12/2016 18h54 - Atualizado em 04/12/2016 21h00

Do G1 RN

O corpo do volante potiguar Gil, um dos 71 mortos no trágico acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, que aconteceu na madrugada da última terça-feira (29), a caminho de Medellín, na Colômbia, chegou a Nova Cruz por volta das 17h deste domingo. A cidade fica a 93 Km de Natal, conta com 40 mil habitantes e é a terra dos pais e de parte da família do ex-jogador (veja o vídeo do G1 acima). Sob sol forte, milhares de pessoas se reuniram no ginásio Giovanna de Azevedo Targino, para se despedir do jogador. José Gildeixon Clemente de Paiva tinha 29 anos e deixa mulher e duas filhas, de cinco e três anos.

A morte do volante é sentida por toda cidade. Moradores penduraram lenços pretos nas casas em sinal de luto, e muitos carregavam fotos do jogador. No corpo de Geraldo Madureira, irmão de Gil e ex-jogador, a camisa do Chapecoense é exibida com orgulho: "Eu estou para ver um homem igual a ele, não existe. Ele é um exemplo, só fica a saudade", conta. Geraldo se emociona ao falar dos pais, de como receberam a notícia. "A maior dor da minha mãe foi não ter falado com ele a última vez que ligou, não ter dado a benção ao meu irmão, ele está inconsolável", se emociona.

Velório de Gil reuniu mais de 10 mil pessoas no ginásio de Nova Cruz, no RN (Foto: Fred Carvalho/G1)

O corpo do volante, que atuou entre outros clubes por Mogi Mirim, Ponte Preta e Coritiba, chegou ao estado às 13h30 em um voo de carreira. Ao chegar em Nova Cruz, o corpo seguiu para a casa dos pais do volante, conhecidos na cidade como Dona Nina e Seu Geraldo. O cortejo percorreu ruas da cidade, com muitos carros, motos e acompanhantes a pé. Ao chegar ao ginásio, foi recebido com uma salva de palmas. Segundo a Polícia Militar, 10 mil pessoas estiveram presentes. Entre elas, o Sr. Fernandes, que esperava desde 12h para dar o último adeus ao amigo de infância do filho. "Ele e meu filho jogaram juntos, ele sempre foi muito querido, vim me despedir", diz Fernandes. Também prestaram homenagens Robinho e Rafinha, ex-companheiros de Gil na época do Coritiba.

Os meias Robinho e Rafinha, do Cruzeiro, criaram fortes laços de amizade com o volante Gil durante a carreira. Robinho e Gil jogaram quatro anos juntos, e por dois anos dividiram o mesmo quarto na época do Mogi Mirim. "Gil me ensinou a ser um homem melhor, um amigo melhor, um pai melhor. Aprendi muitas coisas com ele e vou levar para o resto da vida. Sempre foi um cara muito humilde", declarou.

Rafinha também se emocionou ao falar sobre Gil. "Foi o melhor amigo que fiz no futebol. Em toda a minha carreira nunca conheci uma pessoa igual ao Gil. Éramos parceiros de quarto, concentrávamos juntos (no Coritiba), e costumava falar que ficava mais com ele do que com a própria esposa. Era um cara fantástico".

Carro com o corpo de Gil foi recebido sob forte comoção em Nova Cruz (Foto: Fred Carvalho/G1)

O meia Thiaguinho jogou com Gil na época do Mogi Mirim e lamenta a perda do amigo e recorda os ensinamentos adquiridos durante o período em que estiveram juntos no interior de São Paulo. "Um cara muito humilde, nunca vi no meio do futebol um cara com tamanha humildade, sempre pensando no próximo, sempre querendo ajudar. Todo mundo gostava dele. Sempre falava de Nova Cruz, respeitava a famílias e os amigos".

Ao longo da tarde, torcedores, amigos e fãs chegaram em romaria para prestar suas homenagens. Muitos vestiam camisas do time do jogador, outros, apenas camisas verdes, o importante a lembrança. "Eu expresso o carinho que sinto pelo Gil, um pedaço de nós se foi com ele, diz o vizinho Felipe Ferreira.

José Gildeixon Clemente de Paiva tinha 29 anos e começou a carreira em 2006, no Mogi Mirim. O volante acumulou passagens pelo Guaratinguetá, Vitória, Santo André, Ponte Preta, Coritiba e estava na Chapecoense desde 2015. Conquistou dois títulos estaduais: em 2013, o Paranense pelo Coritiba; e e esse ano, o Catarinense, pela Chapecoense.

Cortejo com o corpo de Gil chegou a Nova Cruz por volta das 17h (Foto: Andrea Tavares/G1)


sábado, 3 de dezembro de 2016

Caixões de vítimas de acidente da Chapecoense são recebidos com honras

Caixões de vítimas de acidente da Chapecoense são recebidos com honras

Bruno Freitas
Do UOL, em Chapecó 03/12/2016 - 10h16 > Atualizada 03/12/2016 - 11h17

Os caixões com as vítimas da tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín foram recebidos com as mais altas honras militares na chegada a Chapecó. 

"Quando vejo essa chuva caindo aqui penso que é São Pedro chorando a morte dos jogadores", disse o presidente Michel Temer após receber os caixões no aeroporto. Ele ainda explicou que irá à Arena Condá. "Não poderia dizer que ia ao estádio ontem porque senão a segurança teria que revistar as pessoas que entram. Só comuniquei que vou lá agora, para facilitar a vida de todos". 

Um corredor com militares, todos em posição de sentido, foi formado com uma estrutura para que os corpos sejam desembarcados dos aviões. Tiros foram disparados para o alto assim que o primeiro caixão deixou o primeiro Hércules e a marcha fúnebre foi tocada. Assim que passar o último caixão, o procedimento será repetido. 

A cada um que passava, o presidente Michel Temer estende a mão em gesto de respeito. Uma tenda com autoridades - entre elas, o presidente - e outra com familiares recebem os corpos das vítimas. As famílias aplaudem a cada caixão que passa.

O presidente Temer entregará uma medalha a cada uma das famílias. Trata-se da medalha da ordem ao mérito esportivo. 

Agora os caixões seguem em caminhões em cortejo fúnebre até a Arena Condá, onde o velório coletivo

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 CAMINHÃO PIPA CAPOTA NA RN 177 NA ZONA RURAL DE SÃO MIGUEL/RN

Na tarde desta sexta-feira um caminhão pipa que trafegava na RN 177 que liga São Miguel a Coronel João Pessoa capotou, o motorista foi levado para hospital municipal de São Miguel por pessoas que passava no momento do corrido chegando na unidade hospitalar foi atendido de imediato pelo médico de plantão. As informações tão conta que o condutor estava sozinho no veiculo quando perdeu o controle do mesmo, não teve vitima fatal apenas o motorista teve um corte na orelha e foi ponteado e passa bem.

Fonte são Miguel em Alta 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Inúmeros Telefones estão sem sinal da Tim em Antônio Martins

Hoje pela manhã liguei pra Tim pedindo uma a solução de um problema na rede  para grande parte da população de minha cidade pois estamos sem sinal a quase 48hs,   são inúmeros aparelhos que não conseguem completar ou fazer suas ligações,   liguei solicitando o problema,  falei com atendente pedir  que eles verificasem do que estar acontecendo,   pois ja Estamos em prejuízo e sem  comunicação. 

Caso não solucione de imediato procurarei o procom

Irm Zizi

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

As luzes se apagaram e não lembro mais de nada', diz aeromoça sobrevivente

Avião caiu na noite de segunda-feira

Dois dos sobreviventes da tragédia aérea que deixou 71 mortos e seis feridos no noroeste da Colômbia, a maioria deles pertencentes a equipe da Chapecoense, deram nesta terça suas primeiras declarações.

SAIBA MAIS

Mídia diz que avião foi colocado atrás na lista de aterrisagem e ficou sem combustível

Clubes brasileiros se unem por Chape para emprestar atletas e pedem à CBF não rebaixá-la por 3 anos

Queda de avião que levava Chapecoense mata mais de 70 pessoas; três jogadores estão entre sobreviventes

"As luzes se apagaram e não lembro mais de nada", disse a aeromoça da companhia aérea boliviana Lamia, Ximena Suárez, para a secretária de governo do departamento de Antioquia, Victoria Eugenia Ramírez, ao ser resgatada na montanha El Gordo, localizada no município de La Unión, onde ocorreu o acidente.

O avião, um Avro Regional RJ85 com 77 pessoas a bordo, "declarou estado de emergência" na segunda à noite, por volta das 22h (hora local) "com pane elétrica" quando se aproximava do Aeroporto Internacional José María Córdova, em Medellín.

 

Antero: 'A vida vai dando um jeito de confortar as pessoas mais próximas desses que partiram'

Já o comissário Erwin Tumiri afirmou aos jornalistas: "Sobrevivi porque segui os protocolos de segurança. Diante da situação, muitos se levantaram de seus lugares e começaram a gritar. Coloquei as malas entre minhas pernas para formar a posição fetal recomendada nesses casos de acidentes".

 

Ao som de Knockin' on Heaven's Door, Guns N' Roses presta homenagem à Chape

Além de Ximena e Tumiri também sobreviveram ao acidente os jogadores Alan Ruschel, Jackson Follmann, e Hélio Neto, e o jornalista Rafael Henzel, que foram internados em diferentes hospitais próximos de Medellín.

 

Tristeza, orações e aplausos; Tragédia na Colômbia choca cidade de Chapecó

A Chapecoense enfrentaria nesta quarta, em Medellín, o Atlético Nacional na partida de ida da final da Copa Sul-Americana.

Fonte : © copyright ESPN do BrasilTodos os direitos reservados

O presidente Ricardo Oliveira disse que este ano o JUNFAM trará as cores da capeco em seus uniformes e Homenageará o Professor Geilson Carlos

A diretoria do JUNFAM 2016 decide que além de arrecadar alimentos para famílias carentes de Antônio Martins e homenagear o Saudoso Professor Geilson Carlos, agora também homenageará o time da Chapecoense vestindo as cores da equipe

A Mesagrm foi repassada pelo presidente JUNFAM  Ricardo Oliveira e o vice  Presidente  ze Barreto direto  para redação do blog do irmão Zizi 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Não sei se Estaria vivo Chape encerra negociação com Vitor depois de conhecer restrição religiosa por Guardar o Sábado


Clube catarinense tinha interesse em goleiro do Londrina para Série A, mas conversa cessou quando foi revelado que ele não poderia treinar ou jogar na sexta e no sábado

19/01/2016 13h09 - Atualizado em 19/01/2016 19h20

Por Rodrigo Saviani e Fernando Araújo

Londrina

Vitor ganhou destaque com um dos melhores da Série C (Foto: Robson Vilela/Site oficial do Londrina)

A escolha pela religião Adventista impediu que o goleiro Vitor, do Londrina, fosse jogar a Série A do Brasileiro pela Chapecoense em 2016. O jogador foi procurado pela equipe catarinense durante as férias de dezembro, mas a negociação não prosperou quando ele contou que não poderia treinar ou jogar entre a noite de sexta-feira e o sábado. A restrição religiosa de Vitor deve obrigar o Londrina a fazer um revezamento de goleiros na temporada. 

O vice-presidente de futebol da Chapecoense, Mauro Stumpf, contou que a boa atuação do goleiro durante a Série C do Brasileiro chamou a atenção do time e a negociação começou durante o período de recesso. Stumpf ligou para o gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, fez a proposta, que gostou do negócio, mas, para surpresa de todos, não encontrou Vitor motivado.

- Nós conversamos com o Sérgio (Malucelli, gestor do Londrina) sobre a possibilidade de trazer o Vitor para jogar Série A com um salário melhor que no Londrina e tal. Começamos a negociação, mas ela estava se tornando difícil. O Sérgio concordava com as condições e passava para o atleta, que não estava aceitando, lembra Stumpf.

Nem eu, nem o Sérgio (Malucelli) não entendíamos o motivo. Série A com salário melhor e ele não estava aceitando. Até que o Sergio me ligou e contou

Mauro Stumpf, dirigente da Chapecoense

O dirigente catarinense contou que não entendia o motivo das negativas. Durante a conversa, ouvia que goleiro dizia estar se sentindo bem em Londrina e sem interesse na transferência. O verdadeiro motivo veio somente depois de uma terceira tentativa. 

- Nem eu, nem o Sérgio entendíamos o motivo. Série A com salário melhor e ele não estava aceitando. Até que o Sergio me ligou e contou que, durante as férias, ele entrou numa religião que não pode trabalhar no sábado. O próprio Sérgio não sabia e ficou sabendo através da negociação, completou o dirigente.

As negociações foram encerradas a partir daquele momento. Para Stumpf, a impossibilidade de Vitor treinar ou jogar no sábado impede a contratação. O dirigente ressaltou que não tem nada contra a religião, mas lembrou que a profissão de jogador obriga que ele esteja à disposição nos sábados. 

- Fiquei surpreso. É a primeira vez que vejo isso. Não tenho nada contra a religião, mas, por ele ser um jogador, fica muito complicado. Não poder contar com ele em determinado momento, para nós, ficava complicado. Imagina ficar fora de um jogo decisivo por causa da religião. 

Caso fosse contratado pela Chapecoense, Vitor seguiria os passos do goleiro Danilo, atual titular da equipe catarinense e que foi goleiro do Londrina antes de sua chegada. 

- Foi considerado um dos melhores goleiros da Série C e soube que é um excelente profissional em todos os sentidos.  Era um goleiro que nos interessava, completou Stumpf.

Coletiva sobre o assunto é adiada

A situação de Vitor no Londrina está sendo tratada de forma sigilosa pela diretoria e o jogador, que não aceitaram falar sobre o assunto na última segunda-feira. Uma entrevista coletiva estava marcada para esta terça-feira, mas ela foi adiada para quarta-feira. 

O GloboEsporte.com apurou que o contrato de Vitor termina no mês de maio, mas ele deve ser renovado pelo Londrina até o final do ano. O clube deve adotar um revezamento de goleiros para poder atender os compromissos do time que, além do Paranaense, joga neste ano a Copa do Brasil e a Série B do Brasileiro, que tem todos os jogos previstos para terça, sexta-feira e sábado.

Entenda por que os adventistas guardam o sábado

A religião da Igreja Adventista do Sétimo Dia preconiza que o mundo foi criado por Deus em seis dias e o sétimo - no caso o sábado, pois o Domingo é o primeiro dia - é destinado para repouso e culto. Os adeptos da religião não podem realizar atividades como trabalhar, estudar ou fazer festividades. 

Tragédia Avião cai com a equipe da Chapecoense e 76mortes confirmadas até o momento

Fonte : UOLUOL

Do UOL, em São Paulo 29/11/2016 - 07h36

A polícia de Medellín confirmou a morte de 76 pessoas no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira, na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. A informação é do General José Acevedo Ossa, da polícia local, responsável pelo resgate. Não há confirmação sobre quem são as vítimas. 

Segundo Ossa, inicialmente somente seis pessoas tinham sobrevivido à tragédia - o número oficial caiu a cinco. Três deles são jogadores da Chapecoense: o lateral esquerdo Alan Ruschel, além dos goleiros Danilo e Follmann. As informações são de hospitais da região e de familiares dos jogadores. 

O prefeito de La Ceja, município próximo ao local da tragédia, por sua vez, informou há pouco que o acidente deixou 25 mortos, com cinco sobreviventes confirmados após as primeiras horas de resgate.

"Há cinco pessoas resgatadas e 25 cadáveres identificados em uma zona de acesso muito difícil", afirmou Osorio.

 

No voo estavam 81 pessoas, incluindo 72 passageiros e nove tripulantes. No total, eram 48 membros da Chapecoense, incluindo 22 jogadores, 21 jornalistas e três convidados, além da tripulação.

 

O modelo do avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, produzido pela British Aerospace. O avião tem lugar para 95 pessoas, mas segundo as autoridades colombianas, tinha 72 passageiros e 9 tripulantes no momento do acidente.

 

Alguns atletas da Chapecoense não viajaram com a delegação. A lista inclui os seguintes jogadores: Neném, Demerson, Marcelo Boeck, Andrei, Hyoran, Martinuccio, Nivaldo e Rafael Lima. Eles não vinham sendo utilizados pelo treinador Caio Júnior. Entre todo o time, o goleiro Nivaldo é o mais antigo  do elenco e está no grupo desde que a equipe estava na Série D.

 

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, também não estava no voo. Ele estava na lista como convidado do clube para a viagem à Colômbia. Mais dois integrantes da lista, Rodrigo Ernesto e Pablo Castro, também não estavam na aeronave. Ambos cuidam da logística do time, chegaram antes e estavam no aeroporto para o receptivo. 

© UOL 1996-2016

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Escolinha do Zizi realizou ontem Evento Beneficiente com Atleta da Seleção Brasileira de Futsal Neto Caraúbas na Cidade de Antônio Martins - RN

 
Ontem tivemos o Prazer de realizar o Maior Evento Beneficiente Esportivo de Futsal da cidade de Antônio Martins com a presença marcante do Atleta da Seleção Brasileira de Futsal Neto Caraúbas conhecido nacionalmente e mundialmente , respeitado com passagens pelas maiores equipes de Futsal do país, o Evento foi realizado pela escolinha do Zizi amigos e país de Aluno da Escolinha esperando ainda que um dia quem sabe as principais altoridades se aproxime mais deste projeto .
...Emquanto isso Permanescemos vivos e fortes caminhando com a força de vontade fe´em Deus por 3 anos promovendo o bem e realizando grandes eventos como este aqui citado pesando exclusivamente somente de ajudar o próximo e de NÃO SE PROMOVER ou ganhar nada em cima disso quem conhece nosso projeto de perto sabe disso, pelo contrário gastando até de nosso próprio bolso com o pouco que temos, mais que se torna muito. a maior prova disso é que a estrada custou 1kg de Alimento NÃO perecível que será doada para famílias carentes do nosso Município onde Neto viu o nosso trabalho é ja vem acompanhando a tempo como ele citou no Discurso
Durante o Evento o irmão Zizi apresentou Neto para todos Atletas e visitantes onde o mesmo Comprimentou toda as crianças e jovens da Escolinha, Amigos visitantes e Falou sobre sua carreira pelo Brasil, em seu descurso tambem acrescentou o fortalecimento do trabalho que a Escolinha faz no incentivo da criança na escola; no combate a violência, uso de Drogas etc.
Uma de suas palavras marcante foi nunca desista de seus sonhos porque é possível com muito trabalho fé e luta alcasar o objetivo de quem quer um dia se torna um atleta profissional de futsal sem precisa de pizar por cima de ninguém é chegar até a seleção Brasileira e ser capitão, onde foi finalizado com inúmeros aplausos do público