domingo, 24 de julho de 2016

Convite Hoje começaremos nossa Semana de Oração Jovem na IGREJA Adventista sétimo dia

Então eu e todo os irmãos da IGREJA Adventista do sétimo dia  convidamos todos  vocês Hoje a noite para se fazer presente em nossa Semana de oração jovem começa as 7hs da Noite

Participe

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Seria  Eu melhor do que um jumento? 


Não sei só sei que foi assim

Antem ontem eu descia pra minha loja no Centro da Cidade com meu filho que iria para academia de musculação,  ao passar próximo a Antiga  a caixa d'água  eu notei um pobre animal que batizaram por nome de jumento diz que é o símbolo do sertão porem muito desprezado e maltratado,  o mesmo em busca de comida no lixo pela escassez da seca vasculhava com sua pata procurando comidas para sua sobrevivência e acabou pretendendo a pata isso antes deu passar ficando preso por um certo tempo ,  exatamente estava passando naquela   hora o Asfalto quente 2hs da tarde,  parei e fiquei observando com meu filho se o mesmo conseguiria por si so sair da situação mais não teve jeito por ja um bom tempo suas forcas não seria suficiente a não ser sua inteligência isso ele não tinha

E Agora que faria Eu,   Seguiria em frente deixando aquele pobre animal,  minha consciência falou mais alto e disse a meu filho agora chegou nossa vez de encarar essa situação ter que pular dentro do lixo e com as próprias mãos ter que afastar àquelas porcarias e conseguir enxergar a sua pata e fata lá,  essa era a única solução para ele sair

Notei no seu olhos a forma de agradecimento e d um alívio d dor

Pergunto você faria o mesmo parando seu carro sua moto etc ? Pulando dentro d lixo para salvar alguem ou até um próprio Animal?

Acredito que sim porque neste mundo mesmo sendo poucas as pessoas de bem elas ainda Exitem os filhos e filhas de Deus

Se sou melhor do que um juramento não sei so sei que a nossa ignorância as vezes pode se tornar pior do que eles

Foi este animal que carregou o maior Homem do Mundo tenho certeza que se ele  visse essa situação Faria o nesmo

Irm Zizi

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Tudo sobre controle nesta manhã na terra da boa Esperança

Movimentação de pedestres;  carros e motos como sempre na principal Avenida Senador Joaquim Inácio nesta manhã

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Michel Temer lança programa “Criança Feliz” ao custo de R$ 2 bilhões ao ano 

UOL

Fernando Rodrigues

20/07/2016 - 07:00

Alvo é a primeira infância (até 3 anos) dentro do Bolsa Família

80 mil visitadores irão semanalmente às casas dos atendidos

Estratégia é mostrar ação em área social para menos favorecidos

Ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social) comanda ideia

Osmar Terra em encontro sobre o programa agora batizado de “Criança Feliz''

O presidente interino, Michel Temer, lança nos próximos dias o seu mais ousado programa social. Batizado de Criança Feliz, trata-se de um projeto para atender presencialmente todos os filhos de beneficiários do Bolsa Família. Vai contratar 80 mil pessoas. Quando estiver em pleno funcionamento, custará R$ 2 bilhões por ano.

O alvo do programa é dar assistência a crianças nos primeiros 1.000 dias de vida (até os 3 anos de idade). Segundo o ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário), esse é o período vital para o desenvolvimento das funções cognitivas, entre outras, da criança.

Em ambientes mais pobres, há grande dificuldade no estímulo de crianças na 1ª infância. Os reflexos podem ser devastadores no restante da vida desses indivíduos, que às vezes acabam tendo problemas na alfabetização e no convívio social.

“Vamos focar o desenvolvimento das habilidades e competências nos primeiros anos de vida para que essas crianças tenham um futuro melhor e ajudem suas famílias a sair da pobreza”, diz o ministro.

A ideia de fazer o atendimento à primeira infância já havia sido manifestada por Osmar Terra. Ontem (19.jul.2016), os detalhes ficaram prontos e o Blog obteve as informações durante uma conversa com o ministro na sede da pasta do Desenvolvimento Social e Agrário.

O Criança Feliz pretende contratar cerca de 80 mil pessoas com ensino médio completo para fazer o atendimento presencial aos filhos de beneficiários do Bolsa Família. Serão os chamados visitadores. Estarão nas 4 milhões de casas de pessoas atendidas pelo Bolsa Família com filhos até 3 anos de idade. O total de beneficiários do programa é de 13,904 milhões de famílias.

Neste ano de 2016, será possível atender apenas 5% do universo total, a um custo ainda baixo, de menos de R$ 100 milhões. Em 2017, o orçamento do Criança Feliz deve chegar a R$ 1 bilhão. A cifra de R$ 2 bilhões deve ser atingida em 2018, quando o programa estará em pleno funcionamento.

A ideia é que cada 1 dos 80 mil visitadores fique responsável por ir até a 6 casas por dia –30 por semana. Além do atendimento às crianças, o programa pretende acompanhar gestantes.

Osmar Terra é médico e deputado federal eleito pelo PMDB do Rio Grande do Sul. No início dos anos 2000, foi secretário da Saúde do governo gaúcho e implantou um programa parecido com o Criança Feliz.

BOLSA FAMÍLIA E MICHEL TEMER
Nesta semana começaram a ser pagos com um reajuste médio de 12,5% os benefícios para as 13,9 milhões famílias inscritas no Bolsa Família. Esse aumento equivale a R$ 295,1 milhões a mais nos bolsos dos beneficiários.

O reajuste de 12,5% no Bolsa Família e agora o programa Criança Feliz serão usados por Michel Temer para tentar descolar de sua administração a imagem de que o peemedebista não cuida da área social.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Parabens Pedrinho você é um bom atleta e um bom menino

Toda equpe e Alunos da Escolinha do Zizi  deseja feliz a niversario ao Atleta Pedrinho 🎉🎉👏🏽👏🏽⚽

Preocupante 'Seca verde' marca quinto ano seguido de estiagem severa no RN

G1 RN 
Fenômeno é caracterizado pela vegetação exuberante apesar da pouca água. Dos 167 municípios potiguares, 153 estão em emergência por causa da seca.
19/07/2016 07h50 - Atualizado em 19/07/2016 08h11
Por Anderson Barbosa e Fred Carvalho
Do G1 RN
 
 
Na região Oeste potiguar, a ‘seca verde’ apresenta contrastes. De um lado, a robusta e exuberante vegetação da caatinga; do outro, a terra árida e cinzenta em meio ao leito seco dos rios (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Na música 'Seca Verde', de Dedé Badaró, os cantores Zezé de Camargo e Luciano definem bem o momento pelo qual passa o sertanejo potiguar: “Nessa seca verde mora um povo nobre, morrendo de sede nessa guerra pobre”. Comum no semiárido nordestino, a seca verde caracteriza-se pela exuberância da vegetação em meio a um longo período sem água. Hoje, o fenômeno é o retrato do quinto ano seguido da mais severa estiagem da história do Rio Grande do Norte.
(O G1 publica nesta semana uma série de reportagens sobre a mais severa estiagem da história do semiárido potiguar e as consequências da chamada 'seca verde')
Desde 2011 que o homem do campo sofre com a falta de boas precipitações no interior do estado. As chuvas que caíram no início do ano transformaram o cenário acinzentado em verde, mas o que veio do céu não foi suficiente para encher os reservatórios. Resultado: no final de junho,o Ministério da Integração Nacional reconheceu a situação de emergência decretada pelo governo estadual.
Atualmente, a seca afeta 153 dos 167 municípios potiguares. Destes, 14 estão em colapso (quando o companhia de água admite que não há como continuar a abastecer os moradores) e 77 desenvolveram sistemas de rodízio para o abastecimento da população (veja lista completa das cidades no fim desta reportagem).
Ao renovar a situação de emergência por mais 180 dias em março deste ano – a sexta vez seguida desde março de 2013 – o governo do estado ressaltou que a pecuária havia perdido mais de 135 mil cabeças de gado de 2012 a 2015, e que entre 2012 e 2014 houve uma redução de 65,79% na produção de grãos (milho, arroz, feijão e sorgo).
 
 
No município de Francisdo Dantas, o agricultor aposentado Francisco Fagundes, de 66 anos, busca água em poços públicos para os afazeres domésticos (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Lata d’água

Entre os dias 3 e 6 deste mês, o G1 foi a 11 cidades do interior potiguar para a ver de perto como o sertanejo, animais e também a vegetação do semiárido vêm resistindo à falta d'água. Em cinco municípios visitados – que atualmente enfrentam colapso no abastecimento – moradores fizeram da busca pelo precioso líquido uma rotina diária.
Aposentado, Jadismar Bento tem 68 anos e mora em Rafael Fernandes. Os efeitos da seca ele sente no bolso. “Todas as manhãs, bem cedo, vou pra rua pegar água no chafariz da prefeitura. Venho pra casa, me sento na calçada, e ligo a bomba para fazer a água subir até a caixa instalada no telhado. Demora mais de meia hora. Faço isso há um ano, que foi quando a água acabou aqui na cidade. Antes, eu pagava R$ 110 de energia, mas agora minha conta está dando mais de R$ 160”, disse.
 
 
 
Paulina Ferreira, de 88 anos, mora na comunidade de Mareta, na zona rural de Rafael Fernandes, no Oeste potiguar. A aposentada não vê a hora de a seca acabar. Para ela, esta é a pior estiagem já vista na região (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Na comunidade da Mareta, na zona rural do município, a situação é semelhante. Paulina Ferreira tem 88 anos. Também aposentada, ela disse que não precisa sair de casa para buscar água porque tem uma cisterna que é abastecida por caminhões-pipa. Mas, como a água que é trazida pelo Exército não serve para beber, ela precisa gastar com galões de água mineral. “A água que chegava pelas torneiras era boa e eu bebia dela. A que vem de caminhão só presta pra cozinhar, tomar banho e lavar roupa”, reclamou.
A idosa disse ainda que não vê a hora de a seca acabar. Para ela, esta é a pior estiagem já vista na região. "Um sofrimento sem fim. Sem água a gente perde a vontade de fazer as coisas. É muito triste", ressaltou.
 
 
Francisco Fagundes mostra a água amarelada que é servida no chafariz da cidade (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1) (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Em Francisco Dantas, a agonia não é medida apenas pela distância que se percorre ou em quantas viagens é preciso dar para se conseguir água, mas também na qualidade dela. “A água que nós temos é de graça, mas é amarelada e fedorenta. Pra beber não dá. Serve só pra cuidar das coisas de casa”, afirmou o aposentado Francisco Fagundes. Com 66 anos, ele caminha quase 1 quilômetro para chegar até o chafariz público mais próximo de onde mora. “Esse mesmo caminho faço umas dez vezes por dia. É difícil, muito difícil”, acrescentou o agricultor.
A água amarelada que jorra dos chafarizes da cidade tem uma explicação: é barrenta por conta da lama que fica no fundo do poço escavado no leito do Açude da Tesoura. O reservatório secou faz três meses, levou a empresa que abastece a cidade a suspender a cobrança e deixou um prejuízo danado para o comerciante Aldizio Costa, dono do Balneário Pingo D'água. "O nome não poderia ser mais sugestivo neste momento. Afinal, não tem um pingo d'água mesmo", lamentou.
 
 
Do alto do trapiche, antes usado para mergulhos, a visão que se tem agora é a do poço que a prefeitura abriu no fundo do Açude da Tesoura (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Do alto do trapiche, antes usado para mergulhos, a visão que se tem agora é a do poço que a prefeitura abriu no fundo do açude. "A água começou a baixar tem quatro anos. No final de março e começo de abril, secou de vez. Os peixes morreram todos. O pescado que eu vendo aqui no balneário vem da Bahia. Nos finais de semana o povo ainda aparece para almoçar, tomar uma cervejinha e ouvir música, mas tá longe de ser como antes, quando isso aqui lotava de gente pra tomar banho no açude. Agora, só resta rezar para que chova logo", destacou.
 
 
Guia turístico Alex Nogueira mostra a
Cachoeira da Umarizeira completamente seca.
Sem chuva para alimentar córregos e riachos,
a queda d’água deixou de existir
(Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Fim da trilha

A falta de chuvas na região Oeste também castiga os que moram mais perto do céu. Em 
Martins, cidade serrana acostumada a receber visitantes de todos os cantos, a estiagem também trouxe transtornos e preocupação. Quem vive do turismo que o diga. “Nunca que nós pensávamos em sofrer com a seca desse jeito. Está prejudicando meu trabalho”, reclamou o guia turístico Alex Nogueira, de 21 anos.
 
Alex começou a fazer passeios pelas trilhas da serra de Martins ainda adolescente, quando havia água em abundância descendo pela montanha.
Era tanta água que fez surgir a Cachoeira da Umarizeira. Do alto da serra até a queda d’água, que tem uns três metros de altura, são quase 30 minutos de caminhada. Para chegar lá, é preciso passar por uma área de mata fechada.
A trilha é estreita e requer equilíbrio e bastante esforço físico. “A gente sua bastante no caminho, mas a recompensa é a melhor parte. A água gelada refresca até a alma”, recordou. Contudo, sem a chuva para alimentar os córregos e riachos da região, a queda d’água deixou de existir.
 
 
Trilha que leva à Cachoeira da Umarizeira, em Martins, passa por riachos e córregos agora completamente secos (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
"Sem água, quase ninguém se interessa pela cachoeira. Ainda faço passeios para outros lugares. Tem um roteiro histórico, que passa pelo museu da cidade, e tem a Casa de Pedra, um local que tem cavernas que ainda dá pra levar os visitantes. Mas, para a cachoeira, que era o passeio mais procurado, eu nem indico mais”, afirmou.
 
“Nos tempos bons, eu fazia até quatro trilhas para a cachoeira por dia. Cada passeio custava até R$ 150 por grupo. Agora, não faço nem dois por semana”, revelou Alex.
 
 
No Sítio Arrojado, zona rural de Frutuoso Gomes, o agricultor Francisco Cosme da Silva, de 67 anos, luta diariamente para tentar tirar da terra o sustento da família. Com a seca prolongada, a plantação de milho mais uma vez foi perdida (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Comércio da seca

O olhar do agricultor Francisco Cosme da Silva, de 67 anos, deixa evidente a frustração com outra colheita perdida. As espigas de milho estão definhadas, ressecadas e com poucos grãos. Enquanto a chuva não chega, o sol castiga e leva embora a economia de meses. O que resta da aposentadoria, é pouco para continuar. Mas é preciso.
“Sou sertanejo. Não vou desistir. Tenho que seguir em frente”. As palavras, que demonstram a persistência do nordestino, são do ‘Velho Chico’, como o idoso é carinhosamente chamado no Sítio Arrojado. A pequena comunidade fica no município de Frutuoso Gomes, onde a estiagem também não perdoa.
 
Francisco disse que plantou também sementes de feijão, batata doce e jerimum. “No começo do ano eu me animei. Caiu uma água só da boa e eu corri logo pro roçado. Só que a chuva acabou cedo demais. O que caiu não deu pra nada e eu perdi toda a lavoura. Só está dando capim, que serve de comida para os animais. Mas, se não voltar a chover, vai secar também."
 
 
Francisco de Assis Carlos tornou-se comerciante. Ele vende água de porta em porta com um caminhão adaptado para carregar até 2 mil litros (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Mas, também há quem lucre com a falta d’água, como o autônomo Francisco de Assis Carlos, de 40 anos, que mora na área urbana de Frutuoso Gomes. ‘Pau para toda obra’, ele passou a se dedicar exclusivamente ao mercado da seca.
 
Sobre a carroceria de um velho caminhão, ele adaptou dois reservatórios de mil litros cada e saiu pela cidade vendendo água de porta em porta. “É só ligar que eu vou. Trabalho de domingo a domingo se for preciso. E até agora tem dado certo. Compro os 2 mil litros a R$ 8 em um poço particular e vendo a R$ 40. Faço de seis a oito entregas por dia. Descontando o combustível, fico com R$ 700 livres por mês”, contou.
 
 
Água que sai das torneiras da cidade de Almino Afonso vem de poços escavados pelos próprios moradores, e é servida a quem quiser pagar por ela por meio de uma rede encanada independente do sistema da Caern (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Rede paralela
A água que abastece 
Almino Afonso vem do açude Lauro Maia, localizado no próprio município. Em dezembro do ano passado, já praticamente seco e com a água imprestável, não restou outra coisa para a Companhia de Águas e Esgotos do RN fazer senão suspender o fornecimento à população. E assim foi feito. Contudo, alguns moradores da cidade descobriram que existe bastante água no subsolo e estão se aproveitando disso. Lá, o negócio é vender água encanada. E tem gente se dando bem.
 
A água não é potável, mesmo assim ainda é melhor ter como lavar roupas, cozinhar e tomar banho do que não ter água nenhuma pra usar"
Comerciante de Almino Afonso,
Pelo menos 12 pessoas acharam água em suas terras e montaram verdadeiras redes de distribuição. O G1conversou com algumas, e elas garantem que pelos menos 90% das casas e estabelecimentos da cidade aderiram a estas redes independentes.
“A água não é potável, mesmo assim ainda é melhor ter como lavar roupas, cozinhar e tomar banho do que não ter água nenhuma pra usar”, observou um dos proprietários dos poços. Com um copo de vidro, o comerciante fez questão de mostrar que a água é limpa. “Só não dá pra beber porque é um pouco salgada. Mas, querendo beber, pode beber”, emendou.
Com relação aos poços perfurados em cidades em colapso, a Caern informou que os mesmos não integram o sistema da empresa e que, quando a cidade está em colapso, é porque a companhia já esgotou as possibilidades de abastecimento. “Os poços mencionados devem ter baixa vazão, não sendo viável para o abastecimento e possivelmente apresentam água fora dos padrões”, destacou.
Quem não está preocupado se a água é fornecida de forma legal ou irregular é o servidor público estadual Fracinilson Nunes, de 52 anos. “Instalei o sistema para um desses poços faz quatro meses. É melhor do que ir pegar nos chafarizes da prefeitura. Os canos custaram R$ 120. Agora, é só pagar a mensalidade de R$ 50 e aproveitar a água que vem direto para as nossas torneiras”, celebrou.
 
 
A paisagem mudou do cinza para o verde, mas os animais mortos às margens das rodovias que cortam o estado ainda deixam o cenário desolador (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Chuvas normais em 2017
O homem do campo pode ficar otimista para 2017? Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), órgão responsável pelas previsões climáticas no estado, a resposta é sim.
 
Meteorologista da Emparn, Gilmar Bistrot explicou que até o final de 2016 as chuvas continuarão abaixo do normal no litoral. “Em junho, por exemplo, o acumulado foi de 100 milímetros, muito pouco para o período. E isso se repetirá agora em julho, deixando o tempo bastante seco. Já para o interior, cuja seca já está confirmada mesmo, a esperança é mesmo para 2017. O tempo deve começar a melhor ainda em dezembro deste ano, tendo a situação das chuvas normalizada durante todo o ano que vem”, afirmou Bistrot.
O RN possui dois calendários pluviométricos bem distintos. Um deles envolve o litoral Leste, cujo período chuvoso começa em maio e se estende até meados de setembro. Toda a GrandeNatal está nesta área. Já para o semiárido, território que compreende até 97% dos municípios, o período chuvoso é mais curto. Começa ainda no final de dezembro, chega até o início de janeiro e logo é interrompido. Depois, as precipitações voltam no final de fevereiro e seguem até meados de março. É assim todos os anos.
 
“O problema é quando as chuvas ficam abaixo da média, o que vem acontecendo há cinco anos”, ressalta Mairton França, secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. “Desde que passamos a monitorar as chuvas, há 450 anos, o estado já enfrentou 116 períodos de longas estiagens. Não estamos vivendo a mais longa, mas certamente é a mais severa.”
Municípios em situação de emergência
Acari, Assu, Afonso Bezerra, Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Alto dos Rodrigues, Angicos, Antônio Martins, Apodi, Areia Branca, Baraúnas, Barcelona, Bento Fernandes, Bodó, Brejinho, Boa Saúde, Bom Jesus, Caiçara do Norte, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo Redondo, Caraúbas, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Ceará-Mirim, Cerro-Corá, Coronel Ezequiel, Campo Grande, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto, Equador, Espírito Santo, Felipe Guerra, Fernando Pedroza, Florânia, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Galinhos, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itajá, Itaú, Jaçanã, Jandaíra, Janduís, Japi, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, João Câmara, João Dias, José da Penha, Jucurutu, Jundiá, Lagoa Nova, Lagoa Salgada, Lagoa D’Anta, Lagoa de Pedras, Lagoa de Velhos, Lajes, Lajes Pintadas, Lucrécia, Luís Gomes, Macaíba, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Montanhas, Monte das Gameleiras, Monte Alegre, Mossoró, Macau, Nova Cruz, Olho D’Água do Borges, Ouro Branco, Passagem, Paraná, Paraú, Parazinho, Parelhas, Passa e Fica, Patu, Pau dos Ferros, Pedra Grande, Pedra Preta, Pedro Avelino, Pedro Velho, Pendências, Pilões, Poço Branco, Portalegre, Porto do Mangue, Pureza, Serra Caiada, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Cruz, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, Santo Antônio, São Bento do Norte, São Bento do Trairi, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José de Mipibu, São José do Campestre, São José do Seridó, São Miguel do Gostoso, São Miguel, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Senador Elói de Souza, Serra Negra do Norte, Serra de São Bento, Serra do Mel, Serrinha dos Pintos, Serrinha, Severiano Melo, Sítio Novo, Taboleiro Grande, Taipu, Tangará, Tenente Ananias, Tenente Laurentino Cruz, Tibau, Timbaúba dos Batistas, Touros, Triunfo Potiguar, Umarizal, Upanema, Várzea, Venha-Ver, Vera Cruz e Viçosa.
 
Municípios em colapso
Almino Afonso, Antônio Martins, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, João Dias, Luiz Gomes, Marcelino Vieira, Martins, Paraná, Pilões, Rafael Fernandes, São Miguel, Serrinha dos Pintos e Tenente Ananias.
 
Municípios em rodízio

Já os municípios que enfrentam racionamento e estão em rodízio são: Acari, Afonso Bezerra, Água Nova, Alto do Rodrigues, Angicos, Assu, Barcelona, Bodó, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo grande, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Cerro Corá, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto, Equador, Espírito Santo, Fernando Pedrosa, Florânia, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itaú, Janduís, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, José da Penha, Jucurutu, Lagoa de Velhos, Lagoa Nova, Lajes, Lucrécia, Macau, Messias Targino, Olho D’água do Borges, Ouro Branco, Paraú, Parelhas, Passagem, Pedro Avelino, Pendências, Portalegre, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José do Seridó, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Severiano Melo, Taboleiro Grande, Tenente Laurentino, Timbaúba dos Batistas, Triunfo Potiguar, Umarizal, Venha-Ver e Viçosa.





NOTA ;

Preocupante e diria ..

Todo Nordeste e outras regiões do Brasil sente na pele uma das maiores secas, que chamam secas verdes  uma das maiores dos últimos 100 anos 👆🏾
...
Como estudante da bíblia diria sinais da volta de Jesus, fora outros acontecimentos que acontece no mundo no geral

Irm Zizi
 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Número de motoristas bêbados ao volante cresce 41% em São Paulo

Buscar no sites da Folha

cotidiano

WILLIAM CARDOSO
DO "AGORA"

18/07/2016 02h00

Rubens Cavallari/FolhapressMotorista realiza teste do bafômetro; número de condutores flagrados bêbados cresceu 41%

O número de motoristas flagrados na capital por embriaguez ao volante cresceu 41,4% nos primeiros quatro meses deste ano, na comparação com igual período de 2015. Segundo dados obtidos pela reportagem por meio da Lei de Acesso à Informação, foram 413 casos entre janeiro e abril do ano passado e 584 nos mesmos meses de 2016.

Embriaguez ao volante é quando a concentração é igual ou superior a 0,34 miligrama de álcool por litro de ar alveolar. Nesse caso, o motorista comete crime de trânsito, responde a processo penal e é multado. Até 0,33 mg/l o motorista também é multado e responde a processo administrativo. Mesmo que se recuse a fazer o teste do bafômetro, pode ser preso caso apresente sinais claros de embriaguez.

Segundo o levantamento, a capital paulista teve quase cinco motoristas detidos nos primeiros quatro meses do ano

domingo, 17 de julho de 2016

Parabéns Arlete Felicidades nós te Amamos

Apesar de estarmos juntos vivendo dias muitos  difíceis ,  Quero aqui registra  mais uma data comemorativa de aniversário de minha esposa Arlete 

te amamos 

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Meu querido pai se foi, Mais seu testemunho continua vivo até a volta de Jesus

Irmao zizi Porque Deus não  Não ouviu minha oração ? 

🙏🏼😥

Os Fortes tambem choram
Jesus chorou eu tambem choro

Em minhas ORAÇÕES NÃO somente  eu muitos tambem  pediram pra que Deus pudesce curar  meu pai 

Não é que Deus NÃO ouviu a minha ou a nossas ORAÇÕES é  que devemos aceitar a Vontade de Deus e aprender de quem nos esinou a  orar,   e disse pai que não seja feita a minha vontade e sim a tua vontade,  e que se possível passe de mim este cálice disse jesus,  mais que seja feita a tua vontade,

Deus ja sabia qual era a minha vontade mais a que prevalece e sempre a dele e por mais difícil que seja devemos aceitar, 

Bendito seja o nome do senhor pelos 64 anos d vida que ele deu a meu querido pai. 

Eu NÃO sei,  mais aceito e creio que Deus é soberano e que uma hora chega a vez de cada um d nos, partir.

O não de DEUS  se torna um sim para quem o conhece.

os Homens fortes também choram,   mais até na tristeza eles são vitoriosos porque o diabo não podem contra eles,  a Anjos do seu lado  porque São propriedades exclusivas de Deus

NÃO acedemos velas para nosso pai,  Não rezamos para alma dele,  etc,   porque o mesmo dorme e jesus vem desperta lo do sono como Lázaro no tempo de sua volta,   temos 100% de certeza como diz a biblia palavra viva de Deus

Que os mortos em Cristo na sua  vinda ressuscitaram primeiro  e NÃO tardara  porque os sinais ja  se cumprem

Um dia  todos  sairão dos túmulos  dos cemitérios e  ressuscitaram  ao ouvir o som  da Trombeta de Deus é  nos o vivos seremos transformados num abrir e fecha de olhos como diz as escriuras,  os que se acham nos tumulos  saltaram Glorificando a Deus e dizendo em alta voz em cantico  de vitorias bendito seja o nome do senhor que foi morto e reviveu e veio para nos desapertar do sono e reinar com ele eternamente.

O meu pai servo do Deus vivo o irmão luiz NÃO morreu mais dorme ate a vinda de cristo

Crê você nestas promessas?  Como diz a biblia ore a Deus e se entregue porque o tempo estar próximo, jesus está voltando

Um crente quando morre sua vida continua sendo uma pregação e um testemunho vivo

Iremos nos encontrá dinovo meu velho e querido pai na volta de Jesus  irmão Zizi

Mt 24;  29 -31
1tessalonicesses 4: 16
🙏🏼

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Hoje partiu meu grande Herói meu maior Exemplo

Com muita Dor e tristeza eu anúncio que agora meu pai dorme no senhor

Eu orei muito,  Mais prevalesceu  a Vontade e a resposta de Meu Deus

Meu pai agora Dorme no senhor e Aguarda o Retorno da volta de jesus para ressurreição e  Desperta lo do sono  acompanhado de  seus santo  Anjos

Obrigado senhor pelos 64 anos que o senhor Deu de vida ao meu  grande Heroi meu queridi pai,  o irmão luiz

Bendito seja o Nome do Senhor para sempre

Com lágrimas nos encontraremos denovo na volta do senhor

irm Zizi