sábado, 5 de novembro de 2016

Me sinto privilegiado', diz adventista que esperará 6 horas para fazer Enem


G1

MOGI DAS CRUZES E SUZANO

Gabriel Rocha fica feliz em ver a sua religião sendo respeitada. Sabatistas começarão as provas às 19h de sábado (5).

04/11/2016 07h00 - Atualizado em 04/11/2016 07h00

Por Maiara Barbosa

Do G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Gabriel fará provas do Enem no período da noite (Foto: Gabriel Rocha/Arquivo Pessoal)

Concentração é a palavra-chave para os alunos que vão prestar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, os estudantes que, ao preencherem a inscrição se declararam sabatistas, vão precisar controlar a ansiedade e esperar por seis horas até o início das provas no Alto Tietê.

Gabriel da Rocha Costa, tem 17 anos e vai prestar o exame em Itaquaquecetuba. Ele vê o tempo de espera como um aliado para o bom resultado. “Temos que nos preocupar não só com o preparo acadêmico para a prova, mas também com o preparo físico e psicológico. Eu não vejo esse tempo de espera como algo que me prejudique, pelo contrário, acho que pode ser algo a meu favor, me sinto privilegiado. Naquele momento eu posso relaxar e vou ficar mais tranquilo. Diferentemente dos outros alunos, eu não vou estar acelerado, vindo direto de casa, com uma refeição para prova. Eu vou poder descansar antes.”

Gabriel começou a participar da Igreja Adven-
tista aos dez anos por influência dos tios
(Foto: Gabriel Rocha/Arquivo Pessoal)

Assim como todos que vão prestar a prova, os adventistas devem chegar aos locais até 13h, horário em que os portões serão fechados. Por conta da tradição da religião de “guardar o sábado”, esses alunos vão começar a prova somente às 19h.

Em todo o Brasil, são 76 mil estudantes que terão de esperar ao menos seis horas após o início oficial do exame para começar as suas provas. O número é inferior aos mais de 85 mil que se inscreveram no exame de 2015. No domingo (6), a aplicação da prova segue o mesmo padrão para todos os inscritos.

Gabriel começou a frequentar a Igreja Adventista por influência dos tios, aos 10 anos. De lá para cá, se envolveu nas atividades sociais e religiosas da igreja. Os sabatistas reservam o sábado para oração e serviços para a sociedade, por isso, os adventistas, judeus e batistas do sétimo dia, ficam isolados em salas especiais até o momento que o sol se põe para começar a prova no sábado (5).

Gabriel quer estudar teologia no Centro Universitário Adventista Coelho (Unasp), que fica em Engenheiro Coelho, no interior de São Paulo. Para ele, a possibilidade de “guardar o sábado” mesmo no dia de provas do Enem é uma forma de expressão da liberdade religiosa.

“Muita gente diz que o adventista não faz nada aos sábados, mas na verdade, é nesse dia que voltamos as nossas orações para Deus e atividades para os irmãos. A nossa rotina é de oração pela manhã, eu vou para igreja, participo da escola sabatina e do culto às 9h que se encerra às 12h. Nós almoçamos e na parte da tarde vamos fazer doações de sangue, visitas em hospitais, entrega de alimentos, feiras de saúde, entre outras ações sociais. Por volta das 18h temos um outro culto para contarmos como foi a nossa experiência missionária e entregamos o nosso sábado para Deus, pedindo orientação para a próxima semana.”

Apesar das provas do Enem, Gabriel disse que cumprirá parte da rotina religiosa no sábado, antes de ir até Escola Estadual Homero Fernando Milano, onde fará o exame. No ano passado ele fez a prova como treinEIRO e disse que pode rezar com outros alunos sabatistas enquanto aguardava o início da prova.

“Pela manhã vou para escola sabatina e fico até metade do culto. Depois na escola, vou continuar com as minhas orações, mesmo que em silêncio. No ano passado, quando foi por volta das 18h30, o fiscal que estava na minha sala permitiu que nós ficassemos de mãos dadas e nós cantamos e oramos antes da prova. Foi um momento que eu pude testemunhar a minha fé.”

Durante os sábados, adventistas se voltam para trabalhos sociais (Foto: Gabriel Rocha/ arquivo pessoal)

Preparação
Gabriel está no terceiro ano do ensino médio e disse que o segundo semestre foi voltado apenas para revisão do conteúdo em preparação para o Enem. Em casa, ele ainda estuda mais três horas. Apesar do fervor religioso, diz que não acredita que Deus fará milagres no seu resultado da prova. Apenas pede para que Ele o ajude a lembrar de tudo aquilo que foi estudado.

Decanso
Lucas Silveira, também de 17 anos, está indeciso quanto ao curso que quer cursar. Enquanto não escolhe entre publicidade, engenharia, educação física, medicina ou agronomia. Ele acredita que o horário da prova não vai prejudicar seu rendimento. "Não atrapalhou já durante os meus estudos: eu estudava durante a semana e descansava aos finais de semana. Tão importante quanto estudar é descansar também e acho que por conta do horário estarei mais descansado para a prova."

Depois da experiência cansativa que foi a prova como treineiro no ano passado, Lucas, que fará o exame em Mogi das Cruzes, está mais confiante com a sua disposição para enfrentar a espera. "Esse ano pode ser menos pior e o importante é a confiança em Deus."

É nesse dia que voltamos as nossas orações para Deus e atividades para os irmãos"

Gabriel Rocha, adventista

O pastor Paulo Carneiro, da Igreja Adventista Central de Mogi das Cruzes, explica que a tradição de guardar o sábado vem desde a fundação da religião, há mais de 150 anos. "Cremos na palavra de Deus que o sábado é o dia do Senhor. A palavra nos diz, no livro do Gênesis, que Deus criou o Universo e modelou a Terra para ser a morada dos seres humanos. Ele fez o serviço em seis dias e descansou no último, que seria o sábado. Ele abençoou e santificou este dia."

Na programação dos grupos de estudos da bíblia, entre os jovens, o tema do Enem foi abordado e o pastor reforça que a oportunidade da prova em horário diferenciado é um exemplo importante da liberdade religiosa. "Isso tem criado uma compreensão na sociedade de que devemos respeitar a liberdade religiosa. O sábado é um dia de adoração, de conexão com Deus e, neste sábado em especial, estaremos com as nossas orações voltadas por estes jovens. Nós demos um apoio moral e falamos para eles ficarem calmos, aproveitar o momento para oração. Vamos estar rezando e Deus irá abençoá-los", finaliza o pastor.

Provas
Neste ano, as provas serão realizadas nos dias 5 e 6 de novembro. No primeiro dia, sábado, o candidato terá 4 horas e 30 minutos para responder questões de ciências humanas e de ciências da natureza. No domingo, ele terá 5 horas e 30 minutos para as perguntas de linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e redação.

Os portões serão abertos às 12h e fechados às 13h, no horário de Brasília. As provas começarão, nos dois dias, às 13h30. Os gabaritos oficiais das questões objetivas serão divulgados pelo Inep até o dia 9 de novembro. Já os resultados ainda não têm data marcada para serem apresentados.  

 Globo Notícias© Copyright 2000-2016

Nenhum comentário: