sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

TIME aponta cristã Angela Merkel como personalidade do ano por “liderança moral” na crise dos refugiados

TIME aponta cristã Angela Merkel como personalidade do ano por “liderança moral” na crise dos refugiados
A revista norte-americana Time elegeu a cristã Angela Merkel, primeira-ministra da Alemanha, como a personalidade do ano por sua atuação durante a crise imigratória dos refugiados da Síria, Iraque e países da África.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Merkel – que recentemente passou a ocupar as manchetes por sua expressão pública de fé – foi escolhida pela revista por “ter pedido mais de seu próprio país do que a maioria dos políticos faria, ter ficado firme contra a tirania e por fornecer firme liderança moral em um mundo em que isso está em falta”.

De acordo com informações do portal Uol, é a primeira vez que uma mulher recebe o título de personalidade do ano pela Time.
A postura de Merkel fez com que muitos dos refugiados que chegam à Europa buscassem abrigo na Alemanha. Dentre os imigrantes, muitos passaram a se referir a ela como “mutti”, que significa “mãe” no idioma alemão.

Dados recentes apontam que a Alemanha já registrou a entrada de um milhão de refugiados, que pediram asilo no país. Na contramão da maioria dos dirigentes dos países europeus, que buscam restringir o acesso dos imigrantes ao continente, Angela Merkel avaliou, durante um discurso recente, que os refugiados podem ajudar seu país e a Europa a se voltar à Bíblia Sagrada.
Filha de um pastor luterano, Merkel já havia conquistado uma posição de destaque no cenário internacional ao ser eleita a 2ª pessoa mais poderosa do mundo em outubro, numa eleição da Forbes.

Dentre os outros indicados da Time estavam o presidente russo, Vladimir Putin, descrito como o homem “que desafiou as sanções do Ocidente contra suas atividades militares na Ucrânia” e teve um papel decisivo “na guerra contra o Estado Islâmico”; e o pré-candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, que com sua “retórica populista fez com que ele se tornasse um líder na corrida presidencial e levantou debate sobre o futuro do partido”.

Nenhum comentário: