quarta-feira, 2 de outubro de 2013

EM QUANTO O PAIS SE PREPARA PARA O LUXO DA COPA, OS PROFESSORES ESTÃO NO CACETE

Professores protestam na Câmara do Rio .

                  Ato acontece na manhã desta terça-feira (1º) na Cinelândia, no Centro.
                       Votação de Plano de Cargos e Salários deve ser realizada nesta tarde.

Professores da rede municipal de ensino fazem um protesto com um trio elétrico em frente à Câmara Municipal do Rio, no Centro, à espera da votação do Plano de Cargos e Salários da categoria, elaborado pelo município, nesta terça-feira (1º). Por causa da manifestação, a Avenida Rio Branco Ficou  interditada .
 
Homem ergue placa com ilustração do personagem Professor Raimundo e seu bordão, 'E o salário, ó', durante protesto de professores e integrantes dos grupos Black Bloc e Anonymous, em passeata do Largo do Machado até a Cinelândia. (Foto: Erbs Jr./Frame/Estadão Conteúdo)Homem ergue placa com ilustração do personagem Professor Raimundo e seu bordão, 'E o salário, ó', durante protesto (Foto: Erbs Jr./Frame/Estadão Conteúdo)
 
A Câmara Municipal informou que serão distribuídas apenas 51 senhas para a população acompanhar a sessão plenária. Cada vereador poderá levar um visitante.
A notícia de que a entrada seria limitada causou revolta nos professores

Manifestante é ferido no Rio de Janeiro. (Foto: Nicson Olivier/ Parceiro/ Agência O Globo) Manifestante é ferido no Rio de Janeiro
(Foto: Nicson Olivier/ Parceiro/ Agência O Globo)


Os professores afirmam que a greve só chegará ao fim com a elaboração de um novo Plano de Cargos Carreiras e Remuneração para a categoria. No dia 17 de setembro, a prefeitura enviou à Câmara dos Vereadores, em caráter de urgência, um plano, que foi duramente criticado pelo sindicato. Segundo o sindicato da categoria, as propostas apresentadas pelo governo foram insuficientes e ainda não há uma abertura clara para negociação.

A coordenadora do Sepe-RJ Marta Moraes afirmou que o Plano de Cargos e Salários não foi apresentado pela prefeitura aos professores. "Os maiores prejudicados são os professores e alunos. Ao negar negociar, ele [Paes] está comprometendo o ano letivo. Se ele quer fazer isso a culpa é dele. Caso haja corte de ponto, nós não vamos repor as aulas perdidas. O plano dele não contempla 90% da categoria e a formação de professores e funcionários. No nosso entendimento, eles são educadores", afirmou Marta.

O prefeito Eduardo Paes afirma, no entanto, que o Plano de Cargos e Salários está na Câmara  Municipal para ser votado.

FONTE: G1

 

Nenhum comentário: